//
você está lendo...
Casamento, Relacionamentos

Casamento: do sonho ao pesadelo!

TAMTAMTAMTAM  TAMTAMTAMTAM

TAMTAMTAMTAM TAMTAMTAMTAMTAM…

Noiva

Noiva veste branco, tradição que veio de uma rainha.

Isso te lembra alguma coisa? Esse pedacinho de música já deve ter mexido com muita gente. Não é para menos, deve mexer mesmo. Mas atentem ao que vou dizer agora.

Casamento pode ser sinônimo de ilusão. Sim, para muitos, infelizmente sim!

Podemos começar com algo simples como um “por que as pessoas se casam?”.

Eu respondo essa: As pessoas se casam porque acreditam que completam umas as outras ou porque acreditam que precisam de uma companhia pra vida toda.

Se você é uma pessoa que acredita nisso, desculpe-me, mas você está errado em pensar assim! As pessoas não se completam, porque não são metades de fruta alguma ou tampas de panelas, as pessoas são inteiras, tem vontades próprias, possuem defeitos como qualquer ser vivo (não excluindo nem os microscópicos) e, definitivamente, as pessoas não se bastam!

Você também pensa assim? Ótimo! Se você entende isso pelo menos, é um bom começo! Mas se você ainda está relutando pra entender isso ou se você acha que tem uma cara metade, talvez seja um bom momento pra pensar nisso com mais cautela.

O modelo de casamento imposto por novelas, filmes e até mesmo aqueles que presenciamos, é o que eu chamo de “modelo da perfeição”.

Quando alguém ouve a palavra casamento qual é a primeira coisa que vem a mente?

Poxa, é claro, a noiva vestindo branco com um sorriso estampado no rosto, o noivo com aquela cara de ansioso como quem esperou uma vida inteira por aquele momento, a cerimônia, o padre…

Muitos choram ao ver a noiva ou ouvir a famosa canção do casamento (cantarolei no começo deste post [risos]). Confesso que alguns devem chorar de emoção enquanto outros de desespero!

E é justamente por isso que digo que casamento pode ser um sinônimo de ilusão, pois isso tudo acaba, tão rápido quanto você possa imaginar. E depois a única coisa que resta são reclamações e mais reclamações, infindáveis dias de tortura psicológica e muita infelicidade. Com tempo, o sonho de viver uma vida a dois se torna um pesadelo insuportável!

Vocês podem argumentar, Lobato, você está sendo extremista demais. Não, não estou! Vou argumentar melhor.

Casamento não é oba oba! Não, pelo amor de Deus! E aqui vai um recado para os “mela-cuecas” de plantão(fiquem tranqüilos, eu já passei por essa fase também):

Pedir alguém em casamento não é uma forma de declaração de amor!  Digo isso com toda a convicção de alguém que já pensou dessa forma.

Casar-se com uma pessoa, dividir o mesmo teto, planejar e, mais do que simplesmente planejar, conceber uma vida a dois, está muito além do fato de você gostar, adorar ou amar uma pessoa.

Há casos em que as pessoas se gostam de verdade, mas não conseguem coabitar o mesmo ambiente por mais de algumas horas. São casos raros, mas o fator que falta nestes casos é o mesmo que falta nos casos mais comuns, equilíbrio!

No dia do casamento, tudo é perfeito!

As pessoas são diferentes sim, dadas as condições de criação, pais e mães diferentes, famílias diferentes, costumes diferentes, crenças, estilos, horários, cabeças! Se não houver um meio termo, um equilíbrio, não adianta, é como dar murros em ponta de faca!

Isso você deve aceitar desde já, porque não importa a pessoa que esteja ao seu lado, o fato não mudará. As diferenças existirão sempre, o que me faz ter pena das pessoas que saem por aí dizendo que vão se casar porque estão apaixonadas! Só isso não basta!

É preciso se preparar, entender aquilo que você quer pra você mesmo, deixar claro um para o outro os seus objetivos de vida e se haverá um meio desses objetivos coexistirem com os objetivos do seu parceiro(a)!

Procure informar-se sobre o casamento, se as pessoas soubessem de fato o que é um casamento casariam mais seguras e preparadas para lidar com certas situações. Procure debater com os amigos, colegas de trabalho, com seus próprios parentes, procure entender que o casamento é muito mais que um dia e que se fosse para viver apenas um único e belíssimo dia e sofrer nos demais, as pessoas, muito provavelmente, não se casariam!

Entendam também que às vezes precisamos de espaço, de um momento a sós e que a solidão pode ter seu lado positivo sim: provocar a vontade de estar com o companheiro(a). Isso não significa que você precise se isolar de vez em quando,  isso irá acontecer naturalmente e, quando acontecer, seu parceiro(a) deverá entender e respeitar esse momento.

Abdicar-se de algo de vez em quando é parte do “negócio”, não lhe fará mal algum.

Lembre-se sempre, o ponto complicado do casamento é a convivência e que o simples fato de estar disposto a enfrentá-la de mente aberta já ajudará em muito. É no seu dia-a-dia com o companheiro(a) que você aprenderá a lidar com diversas situações, e encontrará uma forma natural e gostosa de levar uma vida a dois!

Dialogar é preciso! Mais válido para os homens do que para as mulheres, dialogar sempre com seu companheiro ajudará a resolver muitos problemas que poderiam azucrinar sua cabeça por semanas ou meses. Bastam algumas palavras e de repente, aquele “climão” sai de cena e dá lugar aos bons momentos juntos. Não é bacana? E o melhor gente, dialogar não dói e não gera imposto!

Enfim, não existe uma formula mágica. O que foi dito aqui não são conselhos propriamente ditos, são como “boas práticas” que todos devem colocar no seu dia-a-dia, por que casamento pode ser sinônimo de ilusão assim como pode ser sinônimo de equilíbrio! É uma questão de escolha.

Não viva apenas uma única lua de mel, você tem o direito de viver esse momento quantas vezes quiser, basta querer!

Obrigado e até a próxima semana!

Sobre drlobato

Um profissional da área da informática, entusiasta da música sob qualquer forma, amante da vida e das coisas simples.

Discussão

5 comentários sobre “Casamento: do sonho ao pesadelo!

  1. Concordo com quase tudo que você falou!
    Entrou pro meu top 10 da série “relacionamentos não existem…”
    =)

    Publicado por Marcela | maio 3, 2010, 22:52
  2. Concordo e a reciprocidade é verdadeira, as pessoas precisam antes realmente para chegar ao casamento amadurecimento e saber realmente o que é conviver a dois , respeitar limites ,ser companheiro (a) amigo (a) entender o outro no topo nos defeitos e qualidades , confiar e dá a confiança e no mais importante é o diálogo e o companheirismo,respeito mútuo . não existe uma essência certa cada um vive a sua experiência e que seja com sabedoria.
    bjs

    Publicado por Sandra Redgina | maio 6, 2010, 18:04
    • É isso aí Sandra! Você entendeu bem o que eu quis dizer. Ao contrário do que algumas pessoas pensaram após ler meu texto, não sou avesso a casamento, muito pelo contrário!

      Apenas enfatizei o fato das pessoas não darem a devida importância a algo tão complicado e depois se acharem no direito de reclamar ou compartilhar experiências ruins!

      Obrigado pela atenção!

      Publicado por DrLobato | maio 7, 2010, 12:02
  3. ok!

    Publicado por drlobato | maio 26, 2010, 02:45

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: Mendigando amor… « As Crônicas de Lobato - maio 26, 2010

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: